Quarta, 24 de Julho de 2024
Saúde COLUNA

Como a Terapia Cognitivo-Comportamental pode auxiliar no desenvolvimento das crianças

Leia na coluna de Helen Mavichian como a aplicação da TCC em crianças pode contribuir para sua saúde mental e ajudar em habilidades adaptativas

20/05/2024 às 08h00 Atualizada em 28/05/2024 às 11h47
Por: Helen Mavichian Fonte: Helen Mavichian
Compartilhe:
Além de promover o desenvolvimento saudável, a TCC também é eficaz na prevenção e tratamento de transtornos mentais em crianças, como ansiedade, depressão e TDAH. Imagem: Shutterstock
Além de promover o desenvolvimento saudável, a TCC também é eficaz na prevenção e tratamento de transtornos mentais em crianças, como ansiedade, depressão e TDAH. Imagem: Shutterstock

 

Continua após a publicidade

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é uma abordagem psicoterapêutica amplamente reconhecida e estudada, que se baseia na ideia de que os pensamentos, sentimentos e comportamentos estão interligados e influenciam-se mutuamente. 

Quando aplicada no contexto do desenvolvimento infantil, a TCC pode desempenhar um papel significativo na promoção da saúde mental e no fortalecimento das habilidades adaptativas das crianças.

Continua após a publicidade

Começar a terapia caracteriza uma fase muito importante na vida de uma criança. Ela começa um processo de desenvolvimento e melhor evolução de suas habilidades socioemocionais e comportamentais

Presente na sociedade desde os anos 60, a terapia cognitiva-comportamental, também conhecida como TCC, é uma abordagem bastante reconhecida pela classe de psicólogos modernos e bastante utilizada por terapeutas durante o tratamento com diferentes públicos, incluindo as crianças.

Continua após a publicidade

Um dos principais benefícios da TCC para as crianças é a identificação e modificação de padrões de pensamento disfuncionais. Estudos mostram que crianças e adolescentes são suscetíveis a distorções cognitivas, como catastrófica e generalização excessiva. A TCC ajuda as crianças a reconhecer e questionar esses pensamentos distorcidos, substituindo-os por pensamentos mais realistas e adaptativos.

Para começar, acho importante explicar um pouco sobre o que é a terapia cognitivo- comportamental infantil. Ela é uma das abordagens possíveis que o psicólogo pode ter para atender o seu público. A origem dessa abordagem se deu na década de 60, em estudos realizados pelo psicólogo Aaron Beck que buscou entender a influência da cognição sobre as emoções, comportamentos e sentimentos que, consequentemente, ajudava a identificar possíveis transtornos em seus pacientes.

A terapia cognitivo-comportamental é uma modalidade de psicoterapia que ajuda as crianças a elaborar o turbilhão de sentimentos diante de estímulos familiares, escolares e mesmo midiáticos. A cada dia que passa, torna-se mais comum encontrar crianças que fazem terapia semanal ou quinzenalmente. Isso acontece não só porque distúrbios como ansiedade e depressão infantil estão aumentando, mas porque é justamente durante a primeira infância que as emoções humanas estão se desenvolvendo, assim como a personalidade do seu filho.

Além disso, a TCC ensina habilidades de enfrentamento eficazes para lidar com os desafios emocionais e sociais que as crianças enfrentam. Isso inclui técnicas de resolução de problemas, comunicação assertiva e relaxamento, que ajudam as crianças a lidar melhor com situações estressantes e a reduzir a ansiedade e o estresse.

Portanto, a terapia cognitivo-comportamental infantil é um processo terapêutico que busca trabalhar essas situações, a partir da compreensão de que não são os eventos que presenciamos que influenciam diretamente no comportamento das crianças, mas sim a forma como os pacientes encaram e interpretam esses momentos. Com essa compreensão, o trabalho do terapeuta é entender as influências dos pensamentos em relação às emoções e comportamentos dos pequenos.

A TCC também promove o desenvolvimento de habilidades sociais e emocionais, que são fundamentais para o sucesso pessoal e acadêmico das crianças. Isso inclui o fortalecimento da regulação emocional, empatia, habilidades de comunicação e assertividade, que contribuem para relacionamentos mais saudáveis ​​e um melhor ajustamento psicossocial.

No consultório, por vezes, chegam crianças com questões relacionadas a como elas têm interpretado os eventos que acontecem e o que elas têm internalizado a respeito disso, de suas emoções e como se sentem. 

Por isso, é importante que o terapeuta entenda o que precisa ser trabalhado, ou seja, quais são os comportamentos que estão sendo repetidos, como as crianças lidam com as suas próprias emoções, em que situações surgem esses comportamentos, entre outros aspectos importantes.

Além de promover o desenvolvimento saudável, a TCC também é eficaz na prevenção e tratamento de transtornos mentais em crianças, como ansiedade, depressão e TDAH. Intervenções baseadas na terapia cognitivo-comportamental têm sido associadas a resultados positivos a longo prazo, incluindo redução dos sintomas e melhoria da funcionalidade.

Na TCC é essencial que o vínculo terapêutico seja estabelecido com a criança. Às vezes tendemos a pensar que a criança não entende muito sobre estabelecer conexões, porém elas são muito sensíveis quanto a isso. Estabelecer um vínculo forte e agradável é muito necessário no processo terapêutico infantil, faz com que a criança confie no terapeuta e se sinta mais à vontade para falar sobre seu dia, seus amigos, rotina e até mesmo seus medos, angústias e desejos. Durante o processo com as crianças, os pais são grandes aliados, ajudando em todo o percurso, observando os contextos em que a criança está inserida e quais têm sido as reações dela.

Essa abordagem baseada na TCC proporciona um ambiente seguro e estruturado para as crianças explorarem e entenderem seus pensamentos, emoções e comportamentos, capacitando-as a desenvolver habilidades de enfrentamento eficazes, melhorar sua regulação emocional e fortalecer suas habilidades sociais e interpessoais. Como resultado, a terapia coginitivo-comportamental desempenha um papel fundamental no desenvolvimento saudável e na promoção do bem-estar emocional das crianças.

PARA LER MAIS ARTIGOS, ACESSE: Coluna de Helen Mavichian

*Artigo escrito por Helen Mavichian, psicóloga, psicoterapeuta especializada em crianças e adolescentes e Mestre em Distúrbios do Desenvolvimento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.*

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias