Quarta, 24 de Julho de 2024
Saúde Voluntariado

Viva e Deixe Viver impacta 83 mil pessoas com contação de histórias em hospitais e escolas. Saiba mais

ONG divulga balanço social de 2023 destacando sua atuação em 11 cidades e crescimento no número de voluntários

06/06/2024 às 08h00 Atualizada em 14/06/2024 às 12h48
Por: Lorena Brum
Compartilhe:
Luciana Bernardo durante contação de histórias em hospital. Imagem: Divulgação
Luciana Bernardo durante contação de histórias em hospital. Imagem: Divulgação

 

Continua após a publicidade

A Associação Viva e Deixe Viver, que há 27 anos transforma vidas por meio da contação de histórias para crianças e adolescentes hospitalizados, divulgou seu balanço social de 2023. A ONG impactou 83 mil pessoas em 11 cidades, reafirmando seu compromisso com a saúde, educação, cultura e responsabilidade social.

Expansão para novas cidades

Em 2023, a Viva e Deixe Viver ampliou sua atuação, agora presente em 11 praças, incluindo duas novas cidades do interior paulista: Campinas e Holambra. A ONG já operava em São Paulo (SP), Baixada Santista (SP), Litoral Norte (SP), Marília (SP), Salvador (BA), Brasília (DF), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ) e Recife (PE).

Continua após a publicidade

Cada história contada é uma semente plantada para um futuro mais humano, justo e cheio de possibilidades”, enfatiza Luciana Bernardo, diretora executiva da ONG.

Crescimento no número de voluntários

A ONG registrou um aumento de 10,8% no número de voluntários em relação a 2022, chegando a 575 contadores de histórias. Esses voluntários atuam tanto em hospitais quanto em escolas, levando conforto e esperança a crianças, familiares e profissionais da saúde. O perfil dos voluntários é majoritariamente feminino, com 87% mulheres, e predominantemente da geração Baby Boomers (56 a 70 anos).

Continua após a publicidade

Impacto financeiro e operacional

Em 2023, a receita da Viva e Deixe Viver foi de R$ 1.923.582, sendo 78% oriundos da Lei Rouanet. As despesas operacionais atingiram R$ 1.690.013, com 50% destinados à prestação de serviços de terceiros e 33% a despesas com pessoal. A ONG também valorizou a hora voluntária em R$ 35,90, totalizando um valor anual de mais de R$ 2.378.016 em capital humano.

Projetos de capacitação e eventos

A Viva e Deixe Viver formou 68 novos contadores de histórias em 2023, promovendo eventos e cursos que valorizam a arte de brincar, contar histórias e a comunicação humanizada. Destaque para o “Sacola Literária”, curso com participação de grandes nomes da literatura infanto-juvenil, e o curso “Liderança e Multiplicação”, que formou 18 novos líderes voluntários.

Atuação nas escolas

Além dos hospitais, a ONG atuou em 21 escolas públicas em Holambra, São Paulo e Brasília, impactando 3608 crianças. O projeto “A Arte de Contar Histórias no Âmbito Escolar” promoveu a familiarização com livros em parceria com a prefeitura de Holambra, atendendo 280 alunos.

Livros e histórias lidos

Os voluntários da Viva e Deixe Viver leram 10 mil livros em 2023, com títulos como "O Sapo Bocarrão" e "Até as princesas soltam pum". O “Sarau Viva On”, projeto online iniciado durante a pandemia, continuou em 2023 com 5 mil histórias contadas e 9.725 horas dedicadas.

Parcerias estratégicas

A ONG manteve parcerias importantes, como com a Rede D’Or, impactando mais de 14 mil pessoas em 10 hospitais da rede e 11 hospitais públicos. Outras parcerias de destaque incluem o Instituto Helena Florisbal e a Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), que colaboraram em projetos de educação continuada e arrecadação de livros.

A Viva e Deixe Viver continua sua missão de transformar vidas por meio da contação de histórias, com um impacto significativo em diversas áreas.

A hora qualificada do voluntário da Viva é valorada, transformando cada real investido em um retorno de R$ 10,60 para a sociedade”, destaca Luciana Bernardo.

LEIA TAMBÉM:

Sobre a Associação Viva e Deixe Viver

Fundada em 1997, a Associação Viva e Deixe Viver é uma organização pioneira na contação de histórias para crianças e adolescentes em hospitais. Além de suas atividades de ensino continuado, a ONG conta com o canal Viva e Eduque, espaço dedicado à difusão cultural e educacional. A entidade conta com o apoio de diversas empresas e mantém uma rede de 575 voluntários que visitam regularmente 90 hospitais pelo Brasil. Para mais informações e acesso ao balanço social completo de 2023, clique aqui

Gostou da notícia? Deixe seu comentário e continue navegando pelo portal Primeira Educação para se manter atualizado com as principais informações relacionadas à educação infantil e primeira infância.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias